Quinta Do Senhor Da Serra, Belas | Propriedade para venda | Savills
5.999 m²
Preço indicativo € 14.000.000

Quinta Do Senhor Da SerraBelas


    Características fundamentais

    • Propriedade com 20 hectares
    • Paço Medieval em excelente estado de conservação
    • Antigas instalações agrícolas com todas as comodidades para organização de eventos
    • Excelentes acessos
    • A 20 minutos de Lisboa

    Paço Real de Belas inserido em Propriedade de 20 hectares a 20 minutos de Lisboa.

    Sobre esta propriedade

    • A cerca de 15 km do centro de Lisboa, em plena Vila de Belas surge o Paço Real desta vila, inserido na Quinta do Senhor da Serra, outrora conhecida como Quinta dos Marqueses de Belas, de uma riqueza Histórica e Patrimonial Secular.

      A quinta atravessou oito séculos da História de Portugal tendo sido propriedade real de D. Pedro I, de D. João I, da Casa de Bragança, e D. Manuel I foi responsável por grandes obras de remodelação no século XVI.

      A Quinta e o Paço Medieval, pela sua secularidade contam uma História interessantíssima descoberta pelos atuais proprietários que, ao longo dos tempos e, à medida que foram recuperando o Paço, foram encontrando vestígios Medievais e Manuelinos de uma riqueza Histórica inigualável que permitem apreciar um longo período de evolução, incluindo a dos seus bem documentados jardins.

      Inserido na Quinta como parte integrante da propriedade está um Centro Equestre que aproveitou parte das antigas instalações agrícolas e que conta com 20 boxes e 3 picadeiros (um coberto e 2 descobertos).

      Pela grande dimensão das instalações agrícolas, existem várias salas de excelentes dimensões com todas as comodidades e infraestruturas necessárias tanto à realização de eventos como ao desenvolvimento turístico ou habitacional, ou de outros usos privados ou empresariais.

      O Paço em si conta, para além de um imponente logradouro e claustro que dá acesso ao seu interior, no piso inferior com 3 salões interligados entre si com várias áreas de circulação e instalações sanitárias e, no piso superior vários quartos que conferem ao imóvel um enorme potencial tanto para uso turístico como residencial.

      Acresce ainda que, anexo ao Paço e integrado na propriedade, existe um edifício com 3 pisos, inicialmente concebido como unidade hoteleira, que tem excelente potencialidade para complementar qualquer futuro uso do Paço de Belas.

      O que torna esta propriedade única, para além do excelente estado de conservação do Paço e das antigas instalações agrícolas com as várias finalidades que poderão ter (num total de cerca de 6000 m2 de área de construção), é o facto de estarem inseridas numa propriedade de 20 hectares perfeitamente protegida de toda a envolvente, devida à grande riqueza da vegetação com árvores seculares de grande dimensão, conferindo uma grande privacidade. Tudo isto com rápido acesso ao aeroporto e apenas a 20 minutos do centro de Lisboa.

    Informação local

    • O território onde se encontra a vila de Belas apresenta características que determinaram, sem dúvida, o seu povoamento, a sua organização e desenvolvimento. Situada entre serras, algumas de pequeno relevo outras mais acidentadas, como a serra da Carregueira, entrecortada de vales fertilizados pelas abundantes linhas de água, Belas remonta aos primórdios da Nacionalidade onde se conhecessem os limites da paróquia e vila de Belas já no século XII. Os registos arqueológicos encontrados permitem determinar a existência da presença humana desde o Paleolitico Médio (40 000 a 30 000 a.C.), daí passando pelo Neolítico, Calcolítico, o Megalítico (podemos encontrar alguns complexos megalíticos, como por exemplo o complexo megalítico do Monte Abraão - vertente marcadamente funerária), mas sempre denunciando uma densidade populacional muito baixa. Só no período de Romanização encontramos vestígios de uma densidade populacional significativa e com alguma organização. Desta época salienta-se os vestígios da barragem romana, situada na estrada que liga Belas a Caneças. Da presença árabe ficaram também alguns vestígios, principalmente a toponímia local (exemplos: Massamá, Queluz, Meleças).
    • Belas foi vila e sede de concelho até 1855. Até ao liberalismo era composto apenas pela freguesia da sede, sendo mais tarde incorporada a freguesia de Barcarena. Tinha, em 1849, 4 041 habitantes e 49 km². Voltou a obter a categoria de vila em 24 de Julho de 1997. Em 2013, no âmbito da reforma administrativa foi anexada à freguesia de Queluz, criando-se a União de Freguesias de Queluz e Belas.

    Informação adicional

    • Certificado energético: Em curso